Prata: polícia atende chamada por conta de som alto e confusão é geral


O sossego da cidade  foi interrompido por um bate boca entre policiais e um morador.

Carla Ferreira, 28 anos, se recusou a diminuir o som alto da música que estava tocando em seu veículo. Ele estava com um grupo de amigos, por volta de 1h da madrugada, quando os policiais fizeram a abordagem.

Virou uma enorme confusão

Alterado, Cláudio se recusou a reduzir o som. Os amigos que estavam no local, também proferiram ofensas assim que os policiais chegaram no local. Após 5 minutos de confusão, os policiais optaram por conduzir Cláudio até a DP onde foi fichado por ‘perturbação’.

Em entrevista, um dos soldados afirmou que a viatura foi até o local após receberem 3 telefonemas acusando o vizinho de poluição sonora.

Após ser fichado na delegacia, Cláudio foi liberado, mas sua desta animada foi interrompida.

Vale a pena recordar que é sempre necessário respeitar as leis brasileiras sobre o barulho que se pode fazer. Por norma, em praticamente todos os estados brasileiros, as pessoas apenas podem fazer barulho até às 22 horas locais.

Por norma, esse período de pouco barulho exigido dura até às 7 horas do dia seguinte. Como é de fácil perceção, o objetivo dessa lei é que as pessoas consigam ter uma noite descansada, sem terem o seu sono potencialmente interrompido por alguém na rua ou até mesmo dentro do próprio prédio.

Marta Barbosa

Marta Barbosa é formada em Marketing e Publicidade pela 'Unopar EAD. Por mais que tenha experiência em diversas empresas de outro gênero, atualmente ela está se dedicando ao jornalismo e mídias digitais.