in

Auxílio emergencial: Governo reconhece que beneficio poderá ser prorrogado pela segunda vez

Diante da pandemia do novo coronavírus, foi criado o auxílio emergencial pelo Governo Federal para ajudar os brasileiros nesse momento delicado. O beneficio, que teve início em abril, seria pago inicialmente em apenas três parcelas de R$ 600 aos trabalhadores informais e famílias em situação vulnerável, além de beneficiários do Bolsa Família e Cadastro Único.

PUBLICIDADE

Após alguns meses, a pandemia continuou ativa e, assim, o governo prorrogou o auxílio emergencial em mais duas parcelas, chegando a divulgar calendário até a 5ª parcela do benefício para todas as categorias e beneficiários aprovados pelo site ou aplicativo da Caixa.

Após publicar a prorrogação do auxílio emergencial no Diário Oficial da União, o governo admitiu que o país estaria ficando endividado por conta da manutenção de tal benefício.

PUBLICIDADE

Mas, agora, diante da crise que parece estar distante de uma instabilidade comercial para os brasileiros, o Governo Federal, em conjunto com o Ministério da Economia, já pensa na possibilidade de uma nova prorrogação do benefício.

PUBLICIDADE

De acordo com informações, líderes de partidos e parlamentares inclusive já informaram ao Governo Federal que, enquanto o programa de renda mínima não for liberado, o auxílio deverá permanecer.

Diante disso, a ordem do ministro da Economia, Paulo Guedes, foi de acelerar a elaboração do programa Renda Brasil. Assim, segundo consta o site “Gazeta do Povo”, o ministro pretende encaminhar a proposta do mesmo ao Congresso ainda em agosto. O programa em questão substituirá o auxílio emergencial, o Bolsa Família, dentre outros benefícios.

PUBLICIDADE

Escrito por Millena Carvalho

Estudante de Letras, apaixonada pela vida e pela arte. Comprometida com a seriedade em repassar informações verídicas e que enriqueça o conhecimento de nossos leitores.