in

Delegado revela que criança que estava atuando como “Homem-Pateta” se arrependeu de incentivar crianças a cometerem suicídio

Recentemente, a Polícia Civil identificou quem estava por trás de um dos perfis do “Homem Pateta” e foi revelada parte da identidade da pessoa que estava incitando crianças a cometerem suicídio e automutilação. A descoberta gerou muitas dúvidas por parte de internautas, porque, de acordo com os policiais, quem estava administrando o perfil era um menino de 12 anos.

PUBLICIDADE

Ao conversar com o delegado, o menino, que não teve sua identidade revelada por segurança e por ser menor de idade, demonstrou estar bastante arrependido por ter ameaçado seus colegas da escola, em Sorocaba, que fica no interior de São Paulo.

O menino foi identificado depois de ter recebido muitas denúncias registradas na Delegacia Seccional de Sorocaba. A polícia fez uma perícia nos aparelhos que a criança usava e acabou descobrindo que o menino utilizou seu celular para ameaçar outros jovens nas redes sociais através do uso do personagem do “Homem Pateta”.

PUBLICIDADE

A criança foi levada até a delegacia, onde o garoto acabou percebendo a gravidade das ameaças. Assim, o que ele enxergava como “brincadeira” com seus amigos da escola, acabou se tornando um pesadelo.O delegado Rodrigo Ayres revelou que a criança considerava tudo uma grande “brincadeira”, mas, depois que ele chegou na delegacia, percebeu a grande repercussão que causou e demonstrou estar bastante arrependido. Os pais contaram que não sabiam que ele estava cometendo esse ato infracional.

A criança revelou que decidiu começar a fazer as ameaças depois que assistiu um vídeo na internet, o qual se inspirou para criar suas mensagens. Ainda seguindo as informações ditas pelo delegado, o menino passou a coletar os contatos das crianças que estudam na mesma escola que ele para logo depois iniciar uma conversa com algum “alvo” escolhido.

PUBLICIDADE

Vale lembrar que nenhuma criança fez os desafios que o menino pediu e muitas dessas mensagens foram encaminhadas para a polícia. Por meio disso, a investigação acabou encontrando o menino e apreendeu o celular como prova dos crimes cometidos.

O caso do jovem acabou sendo encaminhado para à Vara da Infância e Juventude de Sorocaba, onde será realizado um julgamento.

PUBLICIDADE

Escrito por Ana Carolina Alves da Silva

Redatora há 2 anos, escrevo sobre o mundo dos famosos, curiosidades, relacionamentos e sempre vou em busca de me manter atualizada, para levar o melhor conteúdo aos meus leitores.