in , ,

Entenda por que a Covid-19 mata mais pessoas pobres e negras no Brasil e pelo mundo

Um estudo recente a respeito dos óbitos em decorrência da covid-19 revela que negros e pobres são as principais vítimas da doença.

PUBLICIDADE

No início da pandemia no Brasil, a primeira vítima a falecer da doença foi uma empregada doméstica no mês de março, no Rio de Janeiro. Desde então, vários dados vêm confirmando que a enfermidade causada pelo novo coronavírus mata mais os pobres e negros.

Segundo os dados, diante desse quadro de pessoas infectadas que perderam a vida para a doença, boa parte das estatísticas mostra que os pobres que estavam na linha de frente contra a covid-19, trabalhadores dos serviços essenciais, pessoas que não puderam deixar de trabalhar, idosos pobres, entre outros,foram os mais afetados. E a maioria são negros que não tem o mesmo acesso ao sistema de saúde.

PUBLICIDADE

Esse fenômeno acontece não somente no Brasil, mas em outros países ao redor do mundo têm-se observado a mesma situação. Nos Estados Unidos e no Reino Unido, por exemplo, pobres e negros têm sido as maiores vítimas da covid-19.

O estudo tem evidenciado que a população pobre e negra tem o maior prejuízo por ter menos acesso na rede de saúde. Então a doença encontra um ambiente favorável, porque esbarra com indivíduos que estão em um cenário de desigualdade social, que não têm acesso aos serviços de saúde com facilidade, que vivem em situações de vulnerabilidade, muitas vezes com condições precárias de moradia, saneamento, higiene e alimentação.A doutora em saúde pública da Universidade Federal da Bahia, Emanuelle Goés, afirma que tudo está relacionado ao sistema em que a sociedade vive, diretamente estruturada através do racismo, assim, a realidade é que as pessoas negras possuem as piores condições de vida.

PUBLICIDADE

O resultado do estudo realizado pela PUC-Rio diz que os pretos e pardos morrem mais do que os brancos pela nova covid-19. A pesquisa também mostra que, quanto maior a escolaridade, menor a letalidade da doença. Assim, entre pessoas que não tiveram escolaridade a taxa de morte foi três vezes maior do que entre pessoas que têm nível superior.

Ou seja, quanto mais desfavorável forem as condições de vida uma pessoa, maiores as chances que ela tem de morrer em decorrência do vírus, porque não tem acesso à saúde e outros direitos essenciais de maneira adequada.

Portanto, o coronavírus mata mais negros e pobres, não porque sejam pobres ou negros, mas por estes comporem a maioria que vive em locais de periferia, que não tem recursos adequados e, por consequência, não consegue recorrer com facilidade ao sistema de saúde.

 

PUBLICIDADE

Escrito por Cláudia LM

Colunista de notícias dedicada a escrever artigos de qualidade sobre saúde, TV, notícias de grande repercussão, notícias gospel e demais assuntos.