in , ,

Médicos retiram verme enorme da garganta de mulher após comer sashimi, prato feito com peixe cru

Uma mulher de 25 anos de idade procurou seu médico após sentir dores na garganta por 5 dias, porém, ela nunca imaginava que um verme, tipo uma lombriga, seria encontrado na região de seu incômodo. O ocorrido aconteceu no Japão.

PUBLICIDADE

Os médicos ficaram assustados ao retirar o animal que media 3,8 centímetros de comprimento, que ficou preso na tonsila esquerda, parte da garganta conhecida popularmente como amígdala.

A japonesa foi diagnosticada na semana passada com a lombriga em sua garganta. Assim que o fato aconteceu, foi também notíciado numa publicação de alerta em uma das revistas científicas mais conceituadas, a “The American Journal of Tropical Medicine and Hygiene”.

PUBLICIDADE

De acordo com a pauta publicada na revista citada, o verme é listado cientificamente como “Pseudoterranova azarasi” e se instalou na amígdala da paciente depois que ela comeu fatias de peixe cru, que é comercializado com o nome de sashimi dentro da culinária japonesa ao redor do mundo.Por não aguentar mais de agonia na garganta, que já passava a doer, a japonesa procurou seu médico de confiança, que logo fez exames de imagem. O diagnóstico foi no mesmo instante e, para resolver o problema, o profissional retirou o animal. Em seguida, a paciente já dizia sentir melhora nos sintomas que estava sentindo há 5 dias.

Segundo pesquisadores do assunto, casos de infecção por esse parasita têm se tornado cada vez mais comuns, principalmente na garganta e faringe de pessoas que consomem peixe cru. Confira abaixo a imagem do animal que foi retirado da garganta da paciente em questão. A foto foi tirada no procedimento de retirada do verme.

PUBLICIDADE

Japonesa diagnosticada com verme na garganta aps comer sashimi

A aparição do vírus na garganta ainda assim é algo incomum, visto que a maioria dos registros mostram que esse verme do gênero “Pseudoterranova” costuma ficar alojado no estômago do ser humano contaminado. O que deixa os profissionais da saúde em alerta é que esse vírus não costuma ser combatido através de vermífugos e outros medicamentos, tendo que ser retirado manualmente do corpo.

Cientistas e médicos se preocuparam com o caso da mulher que teve o parasita alojado na garganta, uma vez que comer peixe cru é algo comum no Japão e no mundo, com a globalização, e o caso pode continuar acontecendo com outras pessoas.

PUBLICIDADE

Escrito por Millena Carvalho

Estudante de Letras, apaixonada pela vida e pela arte. Comprometida com a seriedade em repassar informações verídicas e que enriqueça o conhecimento de nossos leitores.